Arquivo da categoria: Café com Letras

Simões Lopes Neto é homenageado em sarau na Smed

Publicada no portal da Prefeitura em 20/10/2016

Texto de: Luiz Eduardo Campesato (estagiário) / supervisão: Cíntia Votto

Para homenagear o centenário da morte do escritor João Simões Lopes Neto, a Biblioteca da Secretaria Municipal de Educação (Smed) promoveu, na tarde desta quinta-feira, 20, o Sarau Café com Letras dedicado ao autor. Funcionários da Smed e de diferentes secretarias estiveram no espaço da biblioteca – localizado na rua dos Andradas, 680, 4º andar – para conhecer e relembrar as suas obras mais consagradas.

Smed realiza Sarau sobre Simões Lopes Neto. Foto: Luiz Eduardo Campesato/Divulgação PMPA, 20/10/2016

Para abrir as atividades do encontro, foi apresentado um breve resumo da vida e da obra de Simões Lopes Neto a partir de pesquisa elaborada pelo professor e escritor Ari Riboldi. A leitura e identificação de palavras e termos genuinamente gaúchos que foram previamente selecionadas das obras do autor deram sequência à programação da tarde, seguidas pela dinâmica de leitura de trechos de seus livros e por uma confraternização junto à equipe anfitriã.

 

Nascido em Pelotas, João Simões Lopes Neto fez um registro realista do universo gauchesco, aliando a norma culta ao uso de léxico e sintaxe próprios da linguagem da campanha. Entre suas principais obras, destacam-se Contos Gauchescos, de 1912, e Lendas do Sul, de 1913. O autor, falecido em 14 de junho de 1916, é considerado o maior autor regionalista da literatura rio-grandense.

Foto: Luiz Eduardo Campesato/Divulgação PMPA, 20/10/2016

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras, Gosto pela leitura

Sarau com Letras sobre Simões Lopes Neto

Sarau Café com Letras

 

Vagas limitadas! Por favor, confirmar presença pelo telefone 3289-1853 ou biblioteca@smed.prefpoa.com.br

 

 

convite-sarau-cafe-com-letras-lopes-neto-page-0

 

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras

Professor Ari Riboldi rima Porto Alegre e região no #DiaDeLer.TodoDia

Compartilhamos o fantástico texto do professor e escritor Ari Riboldi, que foi lido no Sarau Café com Letras. Muito obrigado! Esse evento foi duplamente especial: dia da mobilização Dia de Ler. Todo Dia! e início da comemoração dos 60 anos da Smed!

= = = = =

= = =

Dia de Mobilização Nacional pela Leitura – Dia de Ler. Todo Dia!

Autor: Professor Ari Riboldi    

www.obodexpiatorio.com.br

Quem mora no bairro Floresta pode espiar pela fresta, mas nunca deixar de ler mesmo em dia de festa.
Quem mora no Moinhos de Vento pode até mijar contra o vento, porém sempre ler até ao relento.
Quem mora no bairro Três Figueiras pode plantar bananeira, olhar a traseira, mas ler ao menos de segunda a sexta-feira.
Quem mora na Tristeza pode subir na mesa, ficar na moleza, mas sempre ler até depois da sobremesa mesmo debaixo da mesa.

Quem mora em Ipanema pode comer ovo ou só a gema, não precisa mais usar o trema, porém deve ler até no intervalo do cinema.

Quem mora na Restinga pode cheirar do bode a catinga, mas ler até à míngua.

Quem mora em Belém Novo pode colher ovo, mas ler um poema para o povo.

Quem mora na Lomba do Pinheiro pode tocar pandeiro, cultivar pessegueiro, mas também ler o ano inteiro.

Quem mora no bairro Independência pode pedir clemência se for à falência, mas jamais pode ficar sem ler com frequência.
Quem mora no Parque Farroupilha pode só comer ervilha e lentilha, porém ler livros até formar uma pilha.

Quem mora no bairro Santana pode assobiar e chupar cana, pode comer pão com banana, porém sempre ler com muita gana.
Quem mora no Centro Histórico pode se vestir folclórico e ser retórico, mas sempre ler eufórico.

Quem mora na Agronomia pode namorar todo dia, mas ler como se fosse mania.

Quem mora no Passo da Areia pode rasgar a meia, tomar injeção na veia, mas ter livros à mão-cheia.
Quem mora no Parque Santa Fé pode ir e voltar a pé, mas deve ler tudo até mesmo o rodapé.
Quem mora no Itu pode tomar banho nu, comer bauru, olhar o voo do urubu, mas ler até os saldos de baú.
Quem mora no Santo Agostinho pode mostrar ou abrir a gaiola de seu passarinho, mas sempre ler tudo o que encontra no caminho.
Quem mora na Ponta Grossa pode cair na poça e andar de carroça, mas ler sempre o que estiver na bossa.
Quem mora na Vila Hípica pode passar nos calos arnica, ficar tiririca, mas sempre ler rima rica.
Quem mora na Cavalhada pode fugir em disparada, fazer marmelada, comer coalhada, falar mal da cunhada, voltar de madrugada, contar uma piada, mas sempre ler um conto de fada.
Quem mora na Cidade Baixa pode exibir no bloco a sua faixa, mas ler todos os livros da caixa.
Quem mora no Camaquã pode comer rã, colher romã, mas dos livros dever ser fã.
Quem mora no Santo Antônio pode fazer o pandemônio, pacto com o demônio, mas ler sempre como patrimônio.
Quer mora na Azenha pode rachar lenha, fazer a ordenha, mas sempre ler como senha.
Quem mora no bairro São Geraldo pode tomar sopa de caldo, mas ler todo o livro em saldo.
Quem mora no bairro Navegantes pode tomar purgante se engoliu barbante, mas sempre ler bastante.
Que mora na Ilha da Pintada pode comer peixe na taquara depois da pescada, mas ler nem que seja na madrugada.
Quem mora no Bom Fim pode comer amendoim, cuidar do jardim, porém ler todo dia para melhorar o seu latim.
Quem mora em cidade ou bairro que não foi citado, pode ir pro diabo, para ponte de Paris, ficar emburrado, desde que depois vá ler em dobro todo poema rimado.
Quem trabalha na Secretaria da Educação pode chupar limão, comer pimentão, lamber sabão, fazer planos e reunião, mas dever sempre ler por opção, por vacação, por emoção, para alegrar o coração.
Quem mora neste Alegre Porto pode até caminhar torto, montar num porco, mas vai ler na rua, na praça, no cais do porto, ler todo dia, ler com alegria, por puro prazer, porque ler é conhecer, ler é sonhar, ler é viajar pelo infinito, ler é realizar o impossível, ler é ter sempre um final feliz, ler é  tornar o Porto sempre mais Alegre.

1 comentário

Arquivado em Café com Letras, Gosto pela leitura

Biblioteca da Smed realiza Sarau Café com Letras

Matéria publicada no portal da Prefeitura em 1º/10/2015

Texto de: Luiz Eduardo Campesato (estagiário)/ Supervisão: Andrea Pinto

Integrando a programação dos 60 anos, a Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre (Smed) realizou na tarde desta quinta-feira, 1º, o Sarau Café com Letras. Música, dinâmicas de leitura e hora do conto fizeram parte da programação do evento, que ocorreu na Biblioteca da secretaria.

Evento teve música, dinâmicas de leitura e hora do conto. Foto de Luiz Eduardo Campesato/Divulgação PMPA

O sarau, que já ocorre há três anos, teve como tema O que te faz parar para ler?. A coordenadora da biblioteca, Adriana Gomes, destacou a importância da leitura dentro do ambiente de ensino e de trabalho. “O objetivo é que os servidores da Smed parem para ler, refletir, trocar saberes e curtir esse momento junto aos outros”, disse. O evento contou com apresentação da banda Arte Nova, dinâmica de leituras compartilhadas, leituras selecionadas pelos convidados, apresentação de poesia autoral do professor Ari Riboldi e hora do conto Procurando Firme, de Ruth Rocha, com a professora Bia Guterres.

Foto: Luiz Eduardo Campesato/Divulgação PMPA

Mobilização pela leitura – A atividade fez parte da campanha Dia de Ler. Todo Dia!, uma mobilização pela leitura, promovida pela Prefeitura de Barueri (São Paulo) e aderida por municípios de todo o país. Em Porto Alegre, 25 instituições da rede municipal participaram de atividades práticas de leitura. “A partir do contato com a secretaria de Barueri, há duas semanas atrás, conseguimos mobilizar boa parte das escolas da rede, que hoje promovem diversas atividades nesse sentido”, frisou Adriana. Foram doadas 49 obras para instituições do município, coletadas a partir da incitativa Livro Andarilho, onde estantes para a colocação de livros inutilizados foram dispostas na porta de entrada da secretaria e em praças próximas do prédio.

Foto: Luiz Eduardo Campesato/Divulgação PMPA

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras, Gosto pela leitura

Emei Ilha da Pintada #DiaDeLer.TodoDia

Na Emei Ilha da Pintada a bruxa apareceu!

= = = = =

Fotos enviadas pela escola:

= = = = =

= =

Matéria publicada no portal da Prefeitura em 1º/10/2015

Texto de: Thiago Greco (estagiário) / Supervisão: Andrea Pinto

A Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) Ilha da Pintada participou, nesta quinta-feira, 1°, da ação de mobilização nacional pela leitura Dia de Ler. Todo Dia!. A proposta, iniciativa da Prefeitura de Barueri, São Paulo, é a primeira mobilização nacional de incentivo à leitura.

Foto: Thiago Greco/Divulgação PMPA. Principal atração foi o Barco da Leitura, com diversos livros e jornais

A principal atração da escola foi o Barco da Leitura, feito por um morador da Ilha, com diversos livros e jornais. O barco foi empurrado pela professora Fabiana Rzytki, que estava vestida de Emília, personagem da obra de Monteiro Lobato, Sítio do Pica-Pau Amarelo. Fabiana passou por todas as salas de aula com o barco, contando histórias para as 119 crianças da instituição.
Pais, educadores e funcionários da limpeza e da cozinha participaram como figurantes das histórias. “Nós queremos uma sociedade leitora, pois a leitura possibilita uma maior reflexão sobre a realidade e desperta para a busca de uma vida mais saudável”, destacou Marta Castro, diretora da Emei Ilha da Pintada.

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras, Diversos

Emef Migrantes #DiadeLer.TodoDia

Linda decoração e leituras inspiradoras na Emef Migrantes!

= = = =

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras, Diversos

Emei JP Passarinho Dourado #DiaDeLer.TodoDia

Parabéns e obrigada pela participação!

= = = = = = = =

A manhã foi muito legal nesta quinta-feira na Emei Jardim de Praça Passarinho Dourado.

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras, Diversos

Fabrício Carpinejar participa do Café com Letras na Smed

Matéria publicada no portal PMPA em 15 de outubro

Texto de: Guga Stefanello

O Sarau Café com Letras recebeu na tarde desta quarta-feira, 15, no Dia do Professor, o cronista, poeta e jornalista Fabrício Carpinejar. Formado em jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Fabrício coordena o Curso Superior de Formação de Escritores e Agentes Literários da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). É autor de diversos livros, como As solas do sol, Um terno de pássaros ao Sul, Terceira sede, Biografia de uma árvore, O amor esquece de começar e Canalha. Carpinejar falou sobre seu método de produção de crônicas e poesias e sua relação com os leitores, arriscou opiniões sobre psicanálise, vida amorosa e familiar.

O escritor foi convidado por sua ex-professora e funcionária da biblioteca da Smed, Neiva Siqueira, que está prestes a se aposentar. Neiva agradeceu a presença de Carpinejar no Sarau Café com Letras. “É um prazer poder te receber neste dia tão especial, que é o nosso dia, dia do Professor, tu és o nosso presente”, comentou a professora. Na abertura do evento, a secretária de Educação adjunta, Maria da Graça Paiva, disse estar emocionada em poder receber um grande escritor como Fabrício Carpinejar e citou uma frase da escritora Cora Coralina. “Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”.

imagem130540

Convite para o escritor partiu de uma ex-professora e funcionária da Smed, Neiva de Siqueira (centro). Foto de Willian Baldon, Divulgação PMPA

Na presença de dezenas de servidores, Carpinejar contou como era sua vida em sala de aula. “De certa forma, vinguei-me da infância. Porque, na minha infância, eu não saía no recreio com medo dos apelidos, da gozação. Ficava na sala de aula. Hoje sou hiperativo. O fato de ter sido travado na infância me tornou hiperativo na vida adulta”, disse. Fabricio também falou que os jovens de hoje são muito interativos em sala de aula e que o papel do professor é mostrar a realidade ao estudante. “Ninguém estuda no silêncio, hoje os alunos estão estudando com a televisão ligada ou ouvindo música”, frisou.

Veja o álbum de fotos completo clicando aqui

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras

Dia do Professor + Sarau com Fabrício Carpinejar

Convite_sarau

Deixe um comentário

Arquivado em Café com Letras

Sarau Café com Letras aborda obras de Airton Ortiz

Publicada no Portal PMPA em 05 de agosto de 2014

Texto de: Marysol Cooper (Estagiária) / Supervisão: Guga Stefanello

 

Servidores da Secretaria Municipal de Educação (Smed)  reunem-se na próxima sexta-feira, 8, às 16 h, na biblioteca do 4º andar (rua dos Andradas, 680, Centro Histórico) para ler obras do autor Airton Ortiz, no Sarau Café com Letras. O escritor foi escolhido em votação no mês de maio, pelo programa Adote Um Escritor. Esta é uma ação de incentivo a leitura dirigida aos servidores municipais.

No dia 21, Airton conversará com os servidores sobre suas viagens para vários países, narradas em suas 14 obras, no auditório do 6º andar da Smed.

Segundo a bibliotecária Giane Zacher, o programa é realizado pela secretaria desde 2012. Ela acrescenta: “além da leitura, o Sarau Café com Letras traz como atração especial a exposição da Biblioteca Mística, com Oráculos (sistemas de previsão do futuro) de várias culturas.’’

 

Convite_Café_com_Letras_2014

Deixe um comentário

Arquivado em Adote um escritor, Café com Letras