Arquivo da tag: Escolas municipais e professores municipários

Alunos lançam livro que explora a filosofia na palavra escrita

Matéria publicada em 23/11/2017 no portal da PMPA

Texto de: Vitória Garcia (estagiária)/Supervisão: Cristina Lac

 

Foto: Divulgação/PMPA. Obra foi escrita por 45 estudantes da Emef Neusa Goulart Brizola

 

Os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Neusa Goulart Brizola, lançaram, na tarde desta quinta-feira, 23, no Palácio do Ministério Público, o livro “Inspiradores de Mundos“. A obra foi escrita no ano passado por 45 estudantes do 4º ao 9º ano da escola e foi organizada pelos professores Rita Azzolin, Joelma Borges e Gustavo Pinto e coordenada pelo professor Luciano Bedin, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), com a participação do filósofo e professor da Pontifícia Universidade Católica (PUCRS), Sérgio Sardi.
A obra é composta por verbetes, em que os estudantes escolheram palavras com as quais mais se identificavam e escreveram sobre elas. Alguns dos temas tratados no livro são: amizade, respeito, fé e empatia. Para a professora Rita Azzolin, seus alunos são capazes de se inspirar através da palavra escrita. “Por isso o nome do livro é ‘Inspiradores de Mundos’, pois através das próprias palavras eles podem inspirar outras pessoas”, conta.
Para Vitor Vidal, ex-aluno da escola, os encontros do grupo de Filosofia uniram os estudantes da sua turma, a do 9º ano de 2016, tornando-os um único grupo de amigos. “Foi uma experiência nova, porque a gente nunca tinha escrito algo tão grande assim. Foi algo diferente, mas foi bom, uma diferença boa”, afirma.
O lançamento do livro é fruto de uma parceria com a UFRGS, através do projeto “Saberes Significativos: quando a universidade aprende com a escola e a escola aprende com a universidade“, que proporciona trocas de experiências entre os alunos e os estudantes universitários, por meio de oficinas e troca de cartas anônimas.
O lançamento da obra também contou com apresentação de música, sessão de autógrafos, exposição de fotos e trabalhos dos estudantes.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Alunos de escola de surdos lançam publicação na Feira do Livro

Matéria publicada em 13/11/2017 no portal da PMPA

Texto de: Vitória Garcia (estagiária) / Supervisão: Cristina Lac

 

Foto: Manoelle Duarte/Divulgação PMPA. Livro Super Léo foi escrito por estudante da Emef Salomão Watnick

 

Nesta segunda-feira, 13, alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) de Surdos Bilíngue Salomão Watnick lançaram o livro Super Léo durante a 63ª Feira do Livro de Porto Alegre. A publicação, de autoria dos próprios estudantes, busca fortalecer as relações com as diferenças e valorizar as habilidades artísticas. A sessão de autógrafos, ocorrida no Auditório do Memorial do Rio Grande do Sul, contou com a presença dos autores, demais alunos e professores da escola.
A ideia de escrever um livro nasceu durante as aulas de contação de histórias em quadrinhos. Para executar a proposta, os professores Samuel Mota, da Sala de Integração de Recursos (SIR), e Sonia Luisi, da biblioteca da escola, reuniram os estudantes Diego Gaffree Fernandes, Hugo Lopes Cabreira, Jeferson Nunes Silva, Leandro da Rosa e Rafael da Silva Vitorino para contar uma história diferente, de autoria dos próprios estudantes e onde os protagonistas fossem eles próprios.
Super Léo narra a vida e as amizades do herói Léo, personagem baseado no estudante Leandro da Rosa, que é cadeirante e cujo superpoder é revelado ao girar da cadeira de rodas. O livro explora a temática da diversidade e a integração dentro e fora do espaço escolar, valorizando a escrita, a produção textual e as diferenças.
Os professores Samuel e Sonia acreditam que a oportunidade de mostrar os talentos e habilidades que os alunos possuem é a maior realização do trabalho e destacam que a iniciativa terá mais desdobramentos. “Esse é só o início, pois a ideia é transformar Super Léo em um filme, trabalhando em conjunto com o projeto de cinema da escola”, informam os professores.

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Escolas da rede municipal apresentam projetos na Feira do Livro

Matéria publicada no site da PMPA em 08/11/2017

Texto de: Cristina Lac

 

Três escolas da rede municipal de ensino integram a 6ª edição do seminário internacional “O Papel da Biblioteca e da Leitura no Desenvolvimento da Sociedade”, que faz parte da programação da 63º Feira do Livro de Porto Alegre. As atividades do evento, que incluem palestras, relatos de experiências e apresentação de trabalhos, ocorrem nesta quinta e na sexta-feira, 9 e 10, no Centro Cultural CEEE Erico Veríssimo – Rua dos Andradas, 1223, Centro Histórico. As inscrições são gratuitas e os participantes receberão certificados.

Na quinta-feira, a partir das 9h, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Pessoa de Brum, no bairro Restinga, apresentará o projeto “As Aventuras do Super Tinga – Lendo e Escrevendo Histórias” no espaço Salão de Ideias. Desenvolvido pela professora Adriana Braga Guimarães junto a alunos dos anos iniciais, a iniciativa destaca o conteúdo produzido pelas crianças acerca do personagem que é um super-herói aliado da paz na comunidade.

Na sexta-feira, a partir das 10h, a Emef Ana Íris do Amaral, bairro Protásio Alves, levará ao espaço Sala de Compartilhamento de Ideias o projeto “Sempre às Sextas-Feiras: Lendo na Biblioteca Flor do Campo”, realizado pelas professoras Maria Luci de Mesquita Prestes e Flávia Moretto de Oliveira junto a cinco turmas do 7º, 8º e 9º Anos. Nesta proposta, os alunos dedicaram um dos períodos semanais da disciplina de Português somente para leitura e, ao final, cada um anota, em uma ficha de acompanhamento, até que página leu nesse dia, além de uma breve síntese do que foi lido e sua opinião sobre o conteúdo.

Ainda na sexta-feira, também a partir das 10h, no espaço Sala de Compartilhamento de Ideias, a Emef José Mariano Beck, do bairro Jardim Carvalho, mostrará o trabalho “Defenda-se: leituras e releituras de Chapeuzinho Vermelho para falar de abuso sexual”, executado na Biblioteca Recanto do Pensamento pelas professoras Luciana Ferreira Soares e Rochele Marcello da Silva Schott. Por meio do projeto, os alunos participaram de atividades de mediação de leitura para abordar o tema do abuso sexual de menores e dar ferramentas para as crianças e adolescentes se defenderem e identificarem o abuso.

A Prefeitura de Porto Alegre, por meio das secretarias de Educação e da Cultura, é uma das organizadoras do seminário, juntamente com Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Goethe Institut, Plano Municipal do Livro e da Leitura de Porto Alegre, Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Conselho Regional de Biblioteconomia da 10ª Região (CRB-10), Associação Rio-Grandense de Bibliotecários (ARB) e Câmara Rio-Grandense do Livro. As equipes da biblioteca da Smed e da biblioteca pública municipal Josué Guimarães darão apoio na realização do seminário.

A programação completa do evento e o link para as inscrições podem ser acessados aqui.

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Pé de Livros da Emei Passarinho Dourado

No dia 26/10 foi realizada a I edição do Pé de Livros.  É uma atividade relacionada à Parada da Leitura da RME de Porto Alegre.

Nessa atividade são dispostos livros pela praça e pendurados nas árvores (daí o Pé de Livros!), onde crianças e famílias puderam manusear, ler e escolher livros para levar e lerem em casa.

Tudo com muita alegria e piquenique de frutas. As educadoras também fizeram hora do conto.

Denise Bueno Jardim
Diretora da Emei Jardim de Praça Passarinho Dourado

 

Fotos da Emei JP Passarinho Dourado

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Alunos da Educação Especial celebram Dia do Livro Infantil

Matéria publicada em 18/04/2017 no site da PMPA

Texto de: Cristina Lac

 

A Escola Municipal de Ensino Especial Fundamental Lygia Averbuck celebra nesta terça-feira, 18, o Dia Nacional do Livro Infantil com uma atividade lúdica diferenciada, organizada pela equipe da biblioteca. Os alunos do 1º e 2º ciclos terão a tarefa de descobrir, por meio de charadas, o nome do livro a ser lido. Já os estudantes do 3º ciclo terão o mesmo desafio, porém através de um jogo de forca.
Os livros a serem lidos na data, que marca também o nascimento do escritor Monteiro Lobato, foram selecionados de acordo com cada ciclo. A aquisição foi feita no início do ano letivo através do Programa de Leitura Adote um Escritor.

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Escola Porto Novo inicia ações para incentivar a leitura

Matéria publicada em 03/04/2017 no site da PMPA

Texto de: Cristina Lac

 

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Porto Novo, no bairro Rubem Berta, dará início a atividades especiais para ampliar o acesso à leitura a partir desta semana. A comunidade escolar – alunos, professores, equipes diretivas, funcionários e seus familiares – poderá retirar livros da biblioteca da instituição, a BiblioPORTO, e levá-los para casa. Além do empréstimo, que terá um período fixo para cada turma, também haverá a “Hora da Leitura”, no turno da manhã, no quarto período, com rotatividade no dia da semana. Ou seja, semanalmente, num determinado dia, todos lerão de forma simultânea.
Ainda, entre os dias 3 e 7 de abril, será feita a apresentação formal da BiblioPORTO, cujo nome foi escolhido por eleição no final do ano passado, quando também foi inaugurada. As atividades são alusivas ao Dia Internacional do Livro Infantil, celebrado nesse domingo, 2.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Escola Porto Novo escolhe nome de biblioteca

Matéria publicada em 12/12/2016 no site da PMPA

 

Texto de: Mailsom Portalete (estagiário) / Supervisão: Andrea Pinto

 

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Porto Novo realiza, entre os dias 12 e 13, eleição para escolha do nome de sua biblioteca. O espaço, aberto no segundo semestre de 2016, conta com cerca de 3.300 livros catalogados e algumas centenas de obras ainda não classificadas. A votação é aberta para alunos, funcionários e para a comunidade local.
O processo eleitoral iniciou-se no dia 29 de novembro. Até 6 de dezembro, a comunidade escolar propôs mais de 30 nomes, dos quais foram selecionados cinco para comporem a cédula de votação. São eles: Biblioporto, Carlos Urbim, Cantinho da Alegria, Espaço do Saber e Paixão Côrtes. Para a professora Andréa Rodriguez, é importante que a escolha seja uma atividade democrática. “A escola tem uma postura de tomar suas decisões em conjunto. Nas festas, por exemplo, todo mundo se ajuda, todos colaboram. Não adiantaria nós, professores, definirmos um nome se esse é um espaço da comunidade”, alega.

Foto: Aline Bisso/Divulgação PMPA. Aberto no 2º semestrre, espaço conta com cerca de 3.300 livros catalogados

Andréa, uma das professoras responsáveis pela biblioteca, conta que são realizados em média 150 empréstimos semanais para alunos, professores e comunidade local. “Queremos que os estudantes se apropriem e usem a biblioteca. Esta eleição é, também, um modo de envolvê-los com o mundo da leitura e do livro, muitas vezes, deixado de lado em razão do computador e do celular”, argumenta.
Segundo a diretora da Porto Novo, Salete Monticelli, a intenção é inaugurar a biblioteca até o final do ano. Ela cita, ainda, outras iniciativas da escola de incentivo à leitura, como é o caso da Bibliopátio e do projeto Hora de Ler. “No projeto, todas as turmas fazem uma pausa semanal e, durante um período, os estudantes dedicam-se exclusivamente aos livros. Já a Bibliopátio é o espaço que temos para as crianças lerem durante o recreio, na entrada ou em qualquer momento que estiverem no pátio”, explica.

Deixe um comentário

Arquivado em Escolas municipais e professores municipários, Gosto pela leitura

Smed realiza encontro de avaliação do programa Adote um Escritor

Matéria publicada em 01/12/2016 no site da PMPA

 

Texto de: Luiz Eduardo Campesato (estagiário) / Supervisão: Andrea Pinto

 

Em parceria com o Conselho Municipal do Livro e Leitura (CMLL), a Secretaria Municipal de Educação (Smed), por meio da equipe da biblioteca, organizou um encontro de avaliação do programa de leitura Adote um Escritor na tarde desta quinta-feira, 1º. A reunião ocorreu no auditório da Livraria Paulinas (Rua dos Andradas, 1212) e foi destinada aos coordenadores do projeto nas escolas da rede.

Presidente do CMLL, Renata Borges destacou a importância das ações de leitura proporcionadas pela entidade, que foi criada em 2012 com objetivo de assegurar à população o acesso à leitura por meio de ações conjuntas e continuadas. Foi doado um exemplar do livro O Negrinho do Guaíba para cada instituição presente no encontro. A obra, escrita por Ismael Canapelle e financiada pelo CMLL por edital aberto ano passado, trata da desigualdade social e racial com uma adaptação para os dias de hoje da lenda afro-cristã O Negrinho do Pastoreio. Presente no evento, o autor falou da carreira, da escrita do livro e suas motivações e destacou a importância de financiamentos para obras literárias, respondendo perguntas e conversando com os educadores presentes.
A exibição do vídeo elaborado para a comemoração dos 15 anos do Adote um Escritor, que celebrou a data no dia 3 de novembro, iniciou os momentos de avaliação das atividades do programa neste ano. Além dos relatos das experiências das ações realizadas, foram adiantados encaminhamentos para práticas a serem realizadas no ano seguinte. “Foi um ano bem produtivo quanto as respostas aos nossos projetos. Tudo feito com muita força e determinação”, resumiu a coordenadora da Biblioteca da Smed, Adriana Gomes.

Deixe um comentário

Arquivado em Adote um escritor, Escolas municipais e professores municipários

O bode do prof. Ari!

O Adote um Escritor 2016 na Emef Monte Cristo rendeu um presente divertido para a Biblioteca da SMED.

As professoras da biblioteca escolar e de artes fizeram uma brincadeira com o livro O Bode Expiatório, de Ari Riboldi. Ele foi o adotado da EJA neste ano.

Muito obrigada!

O bode estará disponível aos interessados por mais uma semana!

 

Deixe um comentário

Arquivado em Adote um escritor, Escolas municipais e professores municipários

Escola Vila Monte Cristo realiza encontro do Adote um Escritor

Matéria publicada em 18/11/2016 no portal da PMPA

 

Edição de: Manuel Petrik

 

Alunos e professores da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal Vila Monte Cristo (rua Carlos Superti, 84, Vila Nova) participaram nessa quinta-feira, 17, do encontro do programa de leitura Adote um Escritor, uma parceria entre a Secretaria Municipal de Educação e a Câmara Rio-Grandense do Livro. O autor adotado de 2016 pela EJA da escola foi Ari Riboldi, professor da rede municipal de ensino há 29 anos e referência em origem de palavras, expressões e ditados populares, com seis livros publicados, dentre os quais destaca-se a série O Bode Expiatório 1, 2 e 3.

 

O autor foi recepcionado pela diretora, professora Ivone Bolico da Silva, e pelas professoras Ana Paula Villeroy e Virgínia Funchal, responsáveis pela Biblioteca Erico Veríssimo e pela coordenação do Adote na Monte Cristo. O encontro com alunos e professores foi realizado no auditório das 19h30 as 21h30min. Riboldi abordou as expressões idiomáticas, particularmente as que têm nomes de animais, referindo o sentido literal e figurado das mesmas. Também conversou com os estudantes sobre as gírias mais comuns do meio em que eles vivem e usadas no seu cotidiano. Para tanto, o escritor havia recebido, antecipadamente, uma relação de expressões e gírias catalogadas pelos próprios alunos durante o período preparatório ao encontro.

 

Foto: Aline Bisso/ Divulgação PMPA. Escola Monte Cristo trabalha a obra do escritor Ari Riboldi

 

Além de atividades em sala de aula, a professora Anna Paula fez a leitura e a análise das obras com os alunos, no projeto Pare e Leia, que leva cada turma, por meia hora diariamente, à biblioteca para ler e conversar sobre os textos. Uma das alunas mais atentas à palestra foi Vera Lúcia Medeiros, 49 anos, cuidadora de idosos, que frequenta a Totalidade 5. “Adorei a conversa do escritor. Ele me fez lembrar da minha infância, no interior do Estado, quando trabalhava na lavoura de arroz e a gente usava muitas das expressões explicadas pelo escritor”. Para a professora Anna Paula, houve um engajamento dos alunos porque eles se sentiram motivados pela valorização das gírias usadas no seu meio cotidianamente. “A fala do professor Ari veio ao encontro do trabalho feito com os jovens, além de ser um estímulo à leitura como forma de ampliar o vocabulário e de se expressar bem em qualquer circunstância. Ele desperta a curiosidade e o interesse de todos pelas palavras”, afirmou.

 

No hall de entrada da escola, foi colocado um grande painel com o nome do escritor, sua caricatura, feita pela docente Aline Ribeiro, de Artes, cercada de termos e expressões retiradas dos livros. No auditório, havia um cartaz vazado para fotos com a figura de um bode, em alusão aos livros de Riboldi. Após o encontro, muitos estudantes aproveitaram para  fazer foto no cartaz, posando como bodes expiatórios e também com o próprio escritor Ari Riboldi.

 

Foto: Aline Bisso/ Divulgação PMPA. Cartaz com figura de bode faz alusão aos livros do autor

Deixe um comentário

Arquivado em Adote um escritor, Escolas municipais e professores municipários